Treinado por mais novos!

Treinador de treinadores! Lugar aos mais novos!

Não são os segredos, nem a informação oculta ou perdida numa organização, que impedem que uma transferência de conhecimento, interna ou externa, seja eficaz e com valor.

A experiência acumulada é que torna viável a sua organização.

O problema é que esta experiência pode facilmente sair pela porta, quando um funcionário sai ou se aposenta. A organização precisa capturar e transferir esse conhecimento. Uma maneira de fazer isso é através da formação.

Como é que possível ensinar a um novo elemento de um grupo ou organização tudo o que alguém sabe ou que sabia, no caso de sair desses conjuntos?

Quem, e como, vai contar as histórias reais que não foram escritas mas fazem parte do histórico e cultura da organização?

Está na hora de ir buscar os exemplos de casa e transpô-los para uma organização.

Até há pouco tempo os sábios eram os pais e até mais os avós que, do alto da sua velha cadeira, transmitiam conselhos e conhecimentos, delineavam estratégias baseadas em experiências de sucesso.  

Agora, invertem-se os papéis e as gerações mais novas clamam por conselheiros e treinadores mais novos, capazes de os levaram à gestão do seu próprio conhecimento. São os novos rumos da tecnologia a provocar o aparecimento de novos facilitadores. Vários papéis no mesmo objectivo: Formadores, conselheiros, treinadores e facilitadores, todos com a missão de transferir conhecimento.

Esta versão de facilitador versus, facilitado acaba por produzir uma transferência de conhecimento com dois sentidos, e permite à organização capturar o conhecimento para o voltar a transferir para elementos com menos experiência, mas com potencial para o trabalhar com novas ferramentas.

– Os especialistas podem ser mentores de pessoas novas, apesar de existir uma diferença grande de conhecimento, se os especialistas estiverem dispostos a treinar e os mais novos suportarem ser expostos às suas lacunas de conhecimento. Alguns especialistas encontram, lacunas de conhecimento tão grandes, que não sabem para onde começar ou não têm paciência para começar com o básico.

– Em termos de especialização, o treinador pode ensinar aqueles que são menos experientes. Eles transferem o que aprenderam até ali. Logo que os menos experientes aprendem alguma coisa com o seu teinador, que é reforçado na sua própria experiência, eles deixam de necessitar do treinador.

– Treinar pode ser uma situação pertinente e temporária, ao ajudar a encurtar o tempo, para preencher algumas partes da lacuna de conhecimento e ajuda a melhorar a recepção de conhecimento dos menos experientes.

– Treinar pode prejudicar se o conhecimento que se transfere não é adequado às necessidades. Se o treinador é um aprendiz devemos conhecer bem em que alicerces o seu conhecimento se baseou para saber até onde pode ir.

Por vezes é necessário recorrer a treinadores de treinadores ou consultores de treino para que a transferência de conhecimento seja eficaz!

Já treinou hoje? Como correu?

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: