Libertar conhecimento

O conhecimento é libertador!

A interdisciplinaridade parece possuir potencial libertador do conhecimento.

Por exemplo, o resultado da troca de experiências, em equipas interdisciplinares, pode ser observado num mapa através do qual um utilizador pode construir representações estruturadas de conceitos e dos seus relacionamentos. O mapa é usado para formalizar, organizar e representar mapas conceituais dos vários domínios e facilita a partilha de informação e do conhecimento, num ambiente de colaboração. É uma forma libertadora de conhecimento.

No entanto, o processo de integração do conhecimento requer o exercício do juízo de valor, isto é , a selecção e aceitação do conhecimento a transferir.

È comum haver conhecimento de fronteira entre as várias disciplinas e esse conhecimento é facilmente integrado. Aquele que não reside nas fronteiras favorece a curiosidade e a investigação proporcionando maior riqueza entre as várias disciplinas.

Na medida em que os resultados baseados em diferentes perspectivas teóricas e metodológicas se complementem uns aos outros, adquirimos um todo muito maior que a soma das partes, pois há lugar a validações que antes não eram imaginadas

O conhecimento também é libertador porque nos permite, usando a interdisciplinaridade, conviver sem constrangimentos com a criatividade.

A criatividade muitas vezes exige um conhecimento interdisciplinar, e disso são um bom exemplo os imigrantes, ao fazerem contribuições importantes quando se instalam em novas paragens. Este “fenómeno” não é exclusivo da genética, como é fácil de constar através das aprendizagens recíprocas que proporciona.

A unicidade disciplinar e até a multidisciplinaridade proporcionam erros que podem ser detectadas por pessoas familiarizadas com a interdisciplinaridade face à maior abertura de comunicação e ao desenvolvido potencial criativo.

Outra das características libertadoras do conhecimento é a possibilidade de abordagem diferenciada face a muitos problemas intelectuais, sociais bem como as suas práticas.

Mas vejamos! Quanto mais conhecimento, integra, mais próximo estamos do ideal do conhecimento. É certo que pelo caminho fomos arrumando as prateleiras e reciclando informação ou até mesmo incinerando muito lixo. Mas isso só foi possível em ambiente de colaboração interdisciplinar, ambiente em que nos sentimos mais flexíveis.

Esta formulação libertadora é um bom propósito para aplicação no ensino, para que as gerações mais novas, não se confinem aos super especialistas e tenham uma visão mais real e mais social do mundo.

Hoje estamos na era da nano ciência, onde se atingiu um dos patamares mais elevados da criatividade interdisciplinar.

A complexidade não admite “gurus” ou “especialistas”. A complexidade chama pela criatividade. Ela só se dá bem coma interdisciplinaridade e para isso até usa uma nova ferramenta:

O Speed storming é uma estrutura social de interacção. Tem um objectivo e um propósito para a interacção e cria capacidades para ir mais fundo ao libertar ideias.

Pense bem! Pense nisto e depois diga-me!

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: