Feel the magic with your ideas

(Texto em Português depois deste)

The click

 

When we find that an idea is good, is because it meets our purpose or because it satisfies the needs of other people, what we do to move forward and achieve our dream?

Without having to prove anything, except that it is possible, how anyone can say if an idea is good?

Scott Belsky says: – ” Here’s the simple litmus test: Does your community care? Everyone has a “community” of constituents—customers, users, readers, clients, etc. Share your ideas liberally. If your community engages with them (either for or against them), then you know you’re onto something. If they don’t look twice you know that you either need to reconsider the idea or rethink how you communicate it.”

In the past 11th of December Angella Dunn (@ blogbrevity on twitter) promoted one more exceptional # ideachat and one of the questions posted for discussion was:

“What is the magic step that helps you go from idea to execution?”

The question has a special meaning for me, because this is not to seek to know the route, resources or obstacles to the implementation of an idea, but, in my interpretation, which click does produce combustion to go forward.

Once again the diversity proved to be a good source of resources when collaboratively the participants of #ideachat expressed their views.

I then wrote that I thought that my idea should go forward when I felt that there was a purpose or that it had found a meaning. This of course assumes that my assessment about my idea was that “it is possible to implement it.”

There are other opinions presented in this chat that it should be noted because I believe that each of us has his own “magic” to move forward and it is good to think about it to avoid false starts.

It is not good to me, sit in the driver’s seat and turn on the ignition of the car, to make a trip if it does not have fuel in the depot!

“My magic” works only with success if I have the right audience at the right time and in a favorable environment.

Let’s see some opinions expressed in # ideachat 11 December:

@RyanPannell:  Motivation followed by initiative. If you’re missing both/either, you can have all the ideas in the world and it won’t matter.

@talentculture:  Going from idea to execution involves a filtering process. Filter out the least relevant ideas & execute the ones that work.

@talentculture: RT @CoCreatr: magic steps are trial and error and putting the hours in until it works. And new ideas all along.

@CoCreatr: more magic comes from selection and weeding ideas to keep only the finest best working and build on them. Hold gains.

@MaxMckeown: RT : There is no single ‘magic step’ but some kind of ‘magic mix’ of knowledge, resources, and engagement.

@piratebluestar: to me my idea beams valuable when I, myself, cannot discount why the idea shouldn’t be developed.

It is not easy to know what “step magical” because it contains a mixture of spells that only illuminate for departure when our needs, often not aware, are met.

When I feel it is time to develop an idea is because there is a combination of factors that serve of ignition and which result in the awareness that I and my team we are able, that idea is achievable and that makes sense to develop it.

And when I feel this means that there is motivation and passion, which I am alert to obstacles and that my idea spent the first reviews.

It would be nice if each of us, start by knowing ourselves and knowing to what extent believes in himself from beginning to end!

Do you want to comment!

 

Sentir a magia com as nossas ideias

O clique

 

Quando nós achamos que uma ideia é boa, seja porque ela satisfaz o nosso propósito ou porque satisfaz as necessidades de outras pessoas, o que fazemos para avançar e concretizar o nosso sonho?

Sem ter que provar nada, excepto que é possível, como é que alguém pode dizer se uma ideia é boa?

Scott Belsky diz: – Aqui está a prova de fogo simples: Será que o seu cuidado comunidade? Todo mundo tem uma “comunidade” de constituintes clientes, usuários, leitores, clientes, etc. Partilhe as suas ideias livremente. Se a sua comunidade se envolve com eles (a favor ou contra eles), então você sabe que está no caminho certo. Se eles não olham duas vezes você sabe que você quer para se repensar a ideia ou repensar a forma como você comunica isso.

 

No passado dia 11 de Dezembro Angella Dunn @blogbrevity on twitter promoveu mais um excepcional #ideachat e uma das perguntas lançadas para a discussão foi:

– Qual é o passo mágico que nos ajuda a ir da ideia à execução?

A pergunta tem para mim um significado especial, pois não se trata de procurar saber qual o trajecto, os recursos ou os obstáculos à implementação de uma ideia, mas sim, na minha interpretação, qual o clique que faz produzir a combustão para avançar.

Mais uma vez a diversidade mostrou ser uma boa fonte de recursos quando de forma colaborativa os participantes no #ideachat manifestaram as suas opiniões.

Eu nessa altura escrevi que achava que uma ideia minha avançava quando eu sentia que havia um propósito ou que tinha encontrado um significado. Isto naturalmente pressupõe que a minha avaliação sobre a minha ideia era que “é possível concretizá-la”.

Há outras opiniões apresentadas nesse chat que importa referir pois acredito que cada um de nós tem a sua própria “mágica” para avançar e é bom pensar sobre isso para evitar falsas partidas.

Não me serve de nada, sentar-me no banco do condutor e ligar a ignição do automóvel, para fazer uma viagem, se ele não tiver combustível no depósito!

A “minha mágica” só funciona com sucesso se eu tiver o público certo, no momento certo e num ambiente favorável.

Vejamos algumas opiniões expressas no #ideachat de 11 de Dezembro:

@blogbrevity Não há um só “passo mágico” mas uma espécie de “mágica mista” de conhecimento, recursos e compromisso.

@piratebluestar Para mim a minha ideia torna-se válida quando eu, eu próprio, não consigo perceber porque a ideia não pode ser desenvolvida.

@ CoCreatr: mais mágica vem da selecção e capina de ideias para manter apenas o melhor trabalho e desenvolvê-lo. Mantenha os ganhos.

@talentculture RT @CoCreatr passos mágicos são tentativa e erro e colocar as horas até que ele funciona. E novas ideias ao longo de todo.

@ talentculture saindo da ideia para a execução envolve um processo de filtragem. Filtrar as ideias menos relevantes & executar as únicas que funcionam.

@ RyanPannell motivação, seguida pela iniciativa. Se você está perdendo ambas/ou, você pode ter todas as ideias do mundo e não importa.

Não é fácil saber qual o “passo mágico” porque este encerra de facto uma mistura de mágicas que só nos iluminam para a partida quando as nossas necessidades, muitas vezes não conscientes, são satisfeitas.

Quando eu sinto que é o momento de desenvolver uma ideia é porque existe uma combinação de factores que servem de ignição e que se traduzem na consciência de que eu e a minha equipa somos capazes, que a ideia é realizável e que faz todo o sentido desenvolvê-la.

E quando eu sinto isso significa que existe motivação e paixão, que estou alerta para os obstáculos e que a minha ideia passou as primeiras avaliações.

Seria bom que, cada um de nós, começasse por conhecer-se e soubesse até que ponto é que acredita em si mesmo do princípio até ao fim!

Quer comentar!

Uma resposta

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Angela Dunn. Angela Dunn said: “What is the magic step that helps you go from idea to execution?” http://bit.ly/gxxJQf by @jabaldaia #ideachat //< THX Jose! […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: